Pedagiômetro

25 de nov de 2009

O profundo ódio de classe no Brasil

Francamente, acho estranho que um filme sobre a vida de um presidente da República consiga atrair tanto esculacho: é dramalhão, é tosco, é ruim.

Tudo indica que eu não vá ver, por não ter paciência com o tema. Mas começo a gostar do filme pelos críticos que ele atraiu!

"Lula, o filho do Brasil", é ficção roliudiana, se entendi bem. Apenas um filme. Qualquer semelhança com personagens da vida real é mera coincidência. Mas toca colocar repórter para investigar a relação de gente remotamente ligada ao filme e o governo. Logo vão descobrir algum carrinho de pipoca em que o pipoqueiro vende maconha e vão culpar o filme por isso. Vão dizer que "Lula, o Filho do Brasil", incentiva o tráfico de drogas. Que incentiva o subperonismo. Que provoca lavagem cerebral. Que incentiva a caspa e o chulé.

Eu sabia da existência do ódio de classe no Brasil. Mas nunca imaginei que poderia chegar a esse ponto. Eles não só odeiam o Lula. Eles odeiam qualquer coisa que passe perto do Lula. Não basta dizer que foi tudo sorte, foi tudo por acaso, que os oito anos de Lula foram apenas continuação de FHC, que Lula apenas esquentou a cadeira para José Serra. É preciso matar, salgar e enterrar. Se os pobres brasileiros odiassem os ricos tanto quanto os ricos odeiam os pobres, o Brasil viveria um banho de sangue. Em não sendo assim, ficamos restritos a este espetáculo de manifestações explícitas e implícitas de preconceito de classe.

O filme pode até ser ficção grotesca. Mas provocou algo mais grotesco ainda, por ser real e revelador. Essa gente precisa, urgentemente, de um divã.

Luiz Carlos Azenha é jornalista

Fonte: www.viomundo.com.br

Também publicado do site do PT Sorocaba.

Rodoanel: irregularidades e má gestão

No dia 13 de novembro, três vigas, que fariam parte de um viaduto do Rodoanel, desabaram sobre a Rodovia Regis Bittencourt. Felizmente não houve vítimas fatais, ao contrário da tragédia ocorrida na futura Estação Pinheiros da linha 4 – Amarela do Metrô, onde morreram 7 pessoas. Assim como o Rodoanel, essa linha de Metrô teve o processo de construção acelerado para uso na campanha eleitoral, não havia fiscalização efetiva por parte do Estado, foi adotado preço global, ao invés do preço unitário e houve troca de método construtivo.

O governador José Serra tinha anunciado que a adoção do preço global era benéfica para o Estado, pois havia obtido um desconto de 4% em relação ao contrato original.

O Relatório do Tribunal de Contas da União desmascara a essência desse aditivo. Para o TCU, houve desrespeito à lei 8.666/93, que prevê a possibilidade de regime de empreitada por preço global, mas o projeto deve conter todos os elementos e informações, o que não ocorreu no Rodoanel, cujo projeto final de engenharia não estava pronto.

Aponta também a adoção de soluções mais baratas, como a alteração do método de construção de viadutos por balanços sucessivos para o de vigas pré-moldadas e a redução do número destas vigas, entre outras medidas que beneficiaram as empreiteiras.

Apenas a redução da área de tabuleiros, superior a 10.000 m², gerou prejuízo de R$ 20 milhões para o Estado. Pelo preço unitário se pagaria o efetivamente medido, mas como é preço global, a administração estará remunerando uma área muito superior àquela que efetivamente será executada.

O Ministério Público Federal evitou que o governo Serra pagasse R$ 236 milhões a mais para as empreiteiras. Com base na conclusão de duas auditorias do TCU, a Dersa e os consórcios que constróem o trecho sul assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta comprometendo-se a não celebrar mais nenhum termo aditivo e modificativo. Os aditivos que haviam assinado até então implicavam no pagamento de serviços adicionais e extracontratuais que permitiam acelerar o ritmo das obras, uma vez que o dinheiro servia para embutir serviços não previstos inicialmente.

A auditoria do TCU pede a suspensão de envio de verbas federais para a obra, pois R$ 1,2 bilhão é repasse federal para o Estado, que é quem faz a gestão, constrói a rodovia. Mas o ministro do TCU Augusto Nardes, mesmo reconhecendo indícios de irregularidades graves, mudou a classificação de IG-P para IG-C, para que o governo de São Paulo continue recebendo os recursos. Além disso, ao contrário de várias obras do PAC, não mandou paralisar a construção até sanar as irregularidades.

O custo total passou de R$ 2,95 bilhões para R$ 3,6 bilhões e a imprensa já anunciou um novo aumento para R$ 4,5 bilhões, o que representa 52% de acréscimo.

Assessoria de Transportes - Liderança do PT na ALESP
Fonte: www.ptalesp.org.br

24 de nov de 2009

Por que Dilma sobe e Serra cai?

A pesquisa CNT/Sensus divulgada ontem devem ter causado arrepios na vasta careca de José Serra. Em um ano, ele já encolheu 15 pontos percentuais, enquanto Dilma sobe.
Há bastante tempo o PT e o governo Lula vem agindo de forma a demonstrar em ações práticas o quanto são diferentes os modelos de administração petista e tucano.
E isso agora começa a surtir efeito.
A democracia brasileira é hoje mais madura porque o povo brasileiro também amadureceu. As pessoas percebem, mesmo que de forma muito sutil, as diferenças entre um modo de governar e outro.
O Brasil experimentou tão poucas experiências democráticas ao longo de sua história que não é difícil entender o medo que tantos tinham de um governo progressista. Ainda não havia parâmetro para qualquer espécie de comparação entre um modelo e outro. Hoje há, e o povo brasileiro parece estar fazendo sua opção.
Dilma cresce de forma consistente em todas as pesquisas e isso acontece à medida em que as pessoas vão entendendo o que está em jogo. Assim, as eleições de 2010 serão mesmo plebiscitárias, seja com Serra ou Aécio como candidato do PSDB.
E seja qual for o adversário, creio que Dilma vencerá, porque cresce o sentimento de que não se vota na pessoa, mas no projeto. É mesmo uma questão de percepção. De que o Brasil de hoje é melhor que o da era FHC.

23 de nov de 2009

CNT/Sensus: 76% preferem governo de Lula ao de FHC

Fonte: Terra

A pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda feira traz uma comparação entre a percepção dos entrevistados sobre o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Para 76%, os sete anos do governo Lula são melhores que os oito anos da era FHC, 10% acreditam que Fernando Henrique foi melhor e 11,1% afirmaram que os dois governos são iguais. A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 16 e 20 de novembro e entrevistou 2 mil pessoas. A margem de erro é de 3%.

Segundo Clésio Andrade, a candidata do governo começa a estimular a guerra eleitoral, crescendo nas simulações e se favorecendo da avaliação negativa da imagem do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

"O Serra cai em função do apoio do Fernando Henrique, que fala em nome dele, independente dele querer ou não. O apoio ostensivo de FHC é prejudicial", disse Clésio Andrade, presidente da CNT.

Nas simulações para as eleições de 2010, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), continua liderando as intenções de votos em todas as listas em que o nome dele é incluído, mas apresenta queda nos percentuais de primeiro e segundo turnos.

"Ao longo dos últimos 12 meses, Serra perdeu 15 pontos nas intenções de voto", disse Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Na primeira lista que inclui todos os prováveis candidatos à presidência da República, José Serra aparece com 31,8%, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), com 21,7%, o deputado federal Ciro Gomes (PSB)tem 17,5% das intenções de votos e a senadora Marina Silva (PV) apresenta 5,9%.

Triniti é eleito presidente do PT Sorocaba

As eleições internas do PT, realizadas ontem em todo o país, elegeram as novas direções municipais, estaduais e nacional.
Quanto à presidência do estado de São Paulo, pelas parciais divulgadas até agora, o atual presidente, Edinho, deve se reeleger com facilidade. Também deve ser eleito em primeiro turno, para a presidência Nacional o companheiro José Eduardo Dutra.
Em Sorocaba, Triniti obteve 85% dos votos, sendo eleito com grande apoio das bases do partido.
Estou certo de que o PT local escolheu o melhor de seus quadros para o momento que vivemos. Pela capacidade de conciliação e pela seriedade com que trabalha, fará seguramente um excelente mandato.

19 de nov de 2009

Santo André II - 8 casas demolidas. Vitória da omissão e da prepotência

Estive hoje pela manhã acompanhando a reintegração de posse de oito casas localizadas no bairro Santo André II, em Sorocaba.
A história do conflito naquela área já acumula treze anos e hoje foi escrito um de seus mais tristes capítulos.
O bairro nasceu de uma pequena ocupação realizada por famílias de trabalhadores sem teto. Poucas casas numa área de risco.
À partir daí, com o apoio do movimento de moradia, para que houvesse a permanência daquelas famílias na área, surgiu a proposta de criação de uma cooperativa, que compraria não só o espaço onde aquelas poucas casas se encontravam, mas todo o terreno, que, depois, seria dividido e vendido a preço de custo a famílias de baixa renda.
A cooperativa, recém criada e sem nenhuma experiência administrativa, cometeu erros e acertos. Urbanizou a área, instalou rede de água e esgoto, parcelou o solo, enfim, fez de forma amadora, tudo o que uma grande empresa do ramo imobiliário faria de forma profissional.
Pois bem, essa cooperativa já repassou mais de R$ 1,5 mi de reais ao antigo proprietário da área. Que reclama muito mais que isso na justiça.
Segundo o mesmo, houve descumprimento do contrato de compra e venda com a cooperativa, apesar de não haver boletos de pagamento entre essas partes, mas sim entre cada morador e o antigo proprietário.
A briga vem se estendendo há anos e agora o proprietário resolveu demolir oito casas do bairro.
Por que aquelas oito? Só Deus e ele sabem. Talvez porque entre esses estejam lideranças do movimento.
Vi um casal de mais de 70 anos de idade, com a senhora em meio a um tratamento de câncer, ser despejado e ter sua casa imediatamente demolida, entre outras atrocidades.
O caso, portanto, é complexo, mas revela dois fatores que foram preponderantes para que chegasse ao ponto de hoje: a omissão do Prefeito de Sorocaba, que poderia ter decretado a área de interesse social e forçado a suspensão da reintegração, e a prepotência e a arrogância do empresário, que simplesmente exigiu a demolição imediata daquelas casas, deixando oito famílias sem teto e outras trezentas e sessenta e cinco (as que continuam no bairro) em pânico.
No final da manhã houve uma assembléia com os moradores, em companhia do Deputado Hamilton (o Vereador Izídio também esteve por lá desde a madrugada). Ficou decidida uma pauta de reivindicações que seria levada ao Prefeito Vitor Lippi nesta tarde, com os seguintes pontos: 1. imediata concessão de aluguel social às oito famílias desabrigadas; 2. inclusão das mesmas com prioridade em programa habitacional do município; 3. reabertura de negociação entre a empresa, a defensoria pública, a cooperativa, a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal para solução definitiva do problema.
Quanto a esse ponto, é importante destacar que havia sido firmado um protocolo de intenções entre essas partes, onde se previa a suspensão das ações de reintegração por 180 dias. Prazo para que as partes encontrassem um bom termo ao caso. Apenas o empresário se recusou a assinar tal protocolo.
Vale ainda dizer, que referida área encontra-se justamente em local estratégico para o tal programa "Sorocaba Total", do governo Lippi. Ali passará a avenida Ulisses Guimarães, importante via para a cidade. Ou seja, a área será muito valorizada.
Talvez esteja aí o motivo pelo qual pouca gente se interessa em defender aquelas famílias.

18 de nov de 2009

CPI do transporte está instalada. E a das propinas?

Pois é, a Câmara de Sorocaba aprovou a criação de uma CPI para apuração da situação do transporte público em Sorocaba.
Algo pertinente, tendo em vista os sucessivos problemas encontrados no sistema de transporte público municipal.
Agora, se essa pode. Por que a que pretende investigar o caso das propinas, não?

CPI da Pedofilia ouvirá Renna

Será nesta semana a oitiva de Januário Rena, na CPI da Pedofilia.
Os senadores deverão ouvi-lo no próprio CDP, onde se encontra preso há mais de três meses, quando foi flagrado com três adolescentes em um motel.
Ainda continuo com a impressão que Renna pode colaborar muito mais em outras investigações, não relacionadas a pedofilia.

OAB - Ogusuko vence em Sorocaba e D'urso é reeleito presidente estadual

Bela vitória da chapa encabeçada por Alexandre Ogusuko, nas eleições da OAB Sorocaba. A chapa vitoriosa abriu mais de duzentos votos sobre a adversária.
Creio, como já havia declarado em texto anterior, que venceu a chapa melhor preparada.
Quanto a estadual, uma lástima. A oposição fez uma excelente campanha. Ainda não vi o resultado final, mas me parece que o vencedor, D'urso, ficou abaixo da casa dos 50% dos votos.
A oposição, somada, provavelmente tenha ficado acima disso, mas como na OAB não há segundo turno... Tem-se um terceiro mandato para o neo-Pefelista D'urso.
Rui Fragoso, em quem votei, terminou em segundo (apesar de em seu site ainda não admitir a derrota). Uma pena! A advocacia paulista referenda uma gestão que ajudou a enterrar o IPESP, manteve uma anuidade caríssima e gastou nosso dinheiro patrocinando os "Cansadinhos" de Hebe Camargo.
E ainda querem investigar o apagão da semana passada. Pode?

16 de nov de 2009

Rodoanel paulista: desastre num gigantesco ninho de irregularidades

Obra mais destacada entre aquelas que emolduram as peças de propaganda do Governo José Serra (PSDB), o rodoanel de São Paulo é também um dos maiores alvos de suspeitas e de denúncias de instituições fiscalizadoras como o Tribunal de Contas da União e o Ministério Público. Para essas instituições, o rodoanel é como um gigantesco ninho de superfaturamento e irregularidades de todo o tipo. Na noite da última sexta-feira, por conta de uma ou de mais de uma das dezenas de irregularidades já apontadas, três vigas de um viaduto de 680 metros, em construção no trecho sul, desabaram sobre a Rodovia Régis Bittencourt esmagando três veículos e ferindo três pessoas. O Governo Serra aponta como provável causa do desastre alguma falha na construção, no tombamento ou no transporte das vigas. Suspendeu as obras por duas semanas, mas manteve o prazo final para 27 de março - pouco antes da provável renúncia de Serra para disputar a Presidência da República.
...
Veja a matéria completa no site do Dep. Hamilton Pereira

PSDB - Imagem de bons gestores cai por terra

O PSDB tem uma interessante característica de tentar oferecer uma versão positiva do que possuem de pior. Depois, potencializam isso de uma tal maneira, que muitas vezes conseguem convencer a maior parte da população de que são bons naquele tema.
Assim inventaram o tal "choque de gestão" em Minas Gerais e em Sorocaba Renato Amary usava como slogan a frase "Gente em Primeiro Lugar". Só se fosse na lista de corte de despesas, porque logo que assumiu a Prefeitura pela primeira vez, demitiu mais de 900 servidores.
Outros tantos exemplos poderiam servir, mas o caso é que chega a ser engraçado o esforço que fazem para tentar convencer que são bons gestores. Aí vieram o apagão de 2001, o buraco do metrô e agora a queda de vigas do Rodoanel.
Nesse último caso, com reiterados avisos do Tribunal de Contas de que havia erros na execução das obras. Inclusive quanto as tais vigas.
É mais uma missão para os super-marketeiros tucanos, que ainda vão tentar nos convencer de há algum lado positivo no acidente.

14 de nov de 2009

Biazzoto e Daniel de Jesus são denunciados pelo MP

Cerca de sete meses depois das denúncias de favorecimento de membros do alto escalão do governo municipal de Sorocaba, que puderam adquirir veículos Corolla em condições especiais, por conta do cargo que ocupavam, o Ministério Público, enfim, resolve denunciá-los por improbidade administrativa.
É evidente que perceberam vantagens em decorrência dos cargos que ocupavam e isso é ilegal.
Agora, ambos são réus. E o caso das propinas ainda está em fase de inquérito policial.

O que dizia Lippi no início do caso

Essas foram as primeiras declarações do Prefeito Vitor Lippi sobre o caso, publicadas no Jornal Cruzeiro do Sul do dia 02 de abril de 2009:

Na manhã de ontem, antes de tomar conhecimento da representação, o prefeito Vitor Lippi (PSDB), em entrevistas às rádios da cidade, disse que o caso envolvendo a compra de veículos Corolla por integrantes de seu governo é uma coisa pessoal e que quem deve dar explicações são os próprios secretários. Disse ainda que tinha conhecimento do fato, que ficou sabendo pela imprensa. Por meio da Secretaria de Comunicação, acrescentou que a aquisição não tem nada a ver com o governo, que não houve má-fé e não foi utilizado dinheiro público. Declarou que cabe ao secretário Biazotto responder as questões a respeito do veículo Toyota.
O secretário de Governo e Planejamento, Maurício Biazotto Corte, informou que entende e recebe com tranquilidade a representação, já que este é um direito de manifestação do Legislativo. Acha interessante que se apure o caso com transparência. Segundo ele, o Ministério Público é o melhor órgão para apurar a questão. Não entendo isso como desgaste. Se não há prejuízo no erário público, não há nada de imoral, declarou.


Era o primeiro sinal da conivência com pequenos atos de imoralidade percebidos na administração municipal. Como não foram combatidos, outros se seguiram e alguns meses depois já tínhamos três secretários detidos.

13 de nov de 2009

Eleições da OAB

Dia 17 de novembro acontecem as eleições da Ordem dos Advogados do Brasil.
Como não tenho vocação pra ficar em cima do muro, utilizo este espaço para declarar meu voto e justificá-lo.
Para a seção paulista voto e indico o voto em Rui Fragoso, advogado comprometido com uma Ordem independente, democrática, combativa na defesa das prerrogativas da classe e, sobretudo, com uma visão muito mais arejada em relação ao papel da entidade frente ao Estado, que a atual direção.
O atual presidente, D'urso, aliás, tem feito um mandato pífio. Absolutamente adestrado pela política partidária conservadora paulista. Inclusive está filiado ao DEM, e busca um terceiro mandato consecutivo.
É até engraçado, justamente a OAB, defensora dos princípios do Estado Democrático de Direito, que se posicionou contra qualquer espécie de conversa em torno da possibilidade um terceiro mandato ao Lula, agora, ter um presidente que não respeita as mesmas noções éticas que, da boca pra fora, defende.
Quanto a eleição para a subsecção de Sorocaba, meu voto será para a chapa encabeçada pelo advogado Alexandre Ogusuku.
Entendo ser ele o mais preparado para a tarefa, além de possuir um perfil de seriedade, fundamental para a função que exercerá, e de contar com uma boa equipe em seu entorno.
E também pelo reconhecimento ao bom trabalho desenvolvido pela atual gestão, que tem a frente o Dr. Delgado e que apoia a candidatura de Ogusuku.
Então é isso, dia 17, vou de Rui Fragoso e Ogusuku.

Daniel Lopes, do Bahcaroco, está no blog da Dilma

O companheiro Daniel Lopes, do PT sorocabano e um dos criadores do blog bahcaroco concedeu entrevista ao blog da Dilma.
É o reconhecimento ao belo conteúdo encontrado naquele espaço e a seriedade de tal militante.
Vale a pena dar uma olhada.

Blog da Dilma

11 de nov de 2009

O apagão e a oposição

Pronto. Tal qual o episódio do acidente com um avião da TAM, no aeroporto de Congonhas, os demo-tucanos, sem projeto de país, sem discurso e sem ter algo melhor pra fazer, sentenciam: "taí o apagão do Lula".
O senador Heráclito Fortes (DEM) chegou a declarar que o fato é um cala-boca de petista que vive acusando o governo FHC de incompetente pelo apagão da época e pra mostrar que o sistema brasileiro é frágil.
Menos, Heráclito, bem menos...
O que aconteceu ontem decorreu de fatores externos ao planejamento dos níveis de consumo e foi solucionado em algumas horas. O que houve com a crise energética do governo FHC foi pura incompetência mesmo. O governo não reuniu condições de se preparar para um crescimento pífio da demanda interna.
Parece mesmo que não aprenderam com as besteiras que disseram no mencionado acidente aéreo, naquela oportunidade a Globo concluia imediatamente, quase que ao vivo, que a culpa do acidente era da pista, da ANAC e do governo Lula. Dias depois, provou-se que nada disso tinha fundamento.
Oposição sem disurso e sem projeto é um perigo para a democracia.

Retrospectiva tucana

Chegando o final do ano, todo mundo começa a fazer o tal balanço do que foi feito durante o período.
Bom, esse ano vai dar trabalho fazer a retrospectiva tucana em Sorocaba. Só pra começar, e me comprometo a apresentar algo bem mais interessante num futuro próximo, destaco aqui quatro momentos de destaque de um dos deputados do PSDB local, e somente quanto as matérias do jornal Cruzeiro do Sul:

JCS de 10/09/2009 – Amary e Dal Pian têm que devolver R$ 46 milhões;

JCS de 08/08/2009 – MP acusa Amary de favorecer Breda;

JCS de 02/07/2009 – Amary é condenado por improbidade administrativa;

JCS de 04/04/2009 - - MP acusa Amary de favorecer empreiteira.

E olha que eu ainda cheguei no Pitt..., digo, no Lippi.

Ruby ao volante

A Comissão criada pela Câmara de Vereadores sorocabana para apurar o caso da cerveja seguida de racha, protagonizado pelo nobre Ruby, está concluindo seus trabalhos.
Ao que tudo indica, o vereador se esforçou em tentar convencer a tal comissão de que não houve nenhum racha e que, já que não estava conduzindo carro oficial, o fato de ter tomado uma cervejinha ou não, teria pouca ou nenhuma importância para a apuração de eventual quebra de decoro parlamentar. Enfim, não estava no exercício de suas funções quando dos fatos.
Até aí, tem toda a razão. Em nenhum lugar está escrito que deve ser cassado o parlamentar que der um "mal exemplo".
O problema se instala na questão da carteirada. Os policiais ouvidos no caso confirmaram que ao ser abordado, Ruby teria dito que era Vereador e que não podiam fazer nada com ele.
Aí sim a coisa pega. O Regimento Interno da Câmara e a Lei Orgância do Município tratam de forma bastante severa o abuso no uso das prerrogativas de um edil. Então, nesse caso, confirmando-se o conteúdo do depoimento dos policiais, pode mesmo haver cassação por quebra de decoro.
Se é verdade que até ser abordado pela PM quem estava ali era um cidadão comum, em sua hora de folga, também é verdade que ao "carteirar" acabou vestindo a farda, empunhando a funcional e bradando: "quem está aqui é uma autoridade do município!"
Pena ninguém ter filmado, deve ter sido uma cena linda...

10 de nov de 2009

Uniban: caso revela mais que o preconceito

Tomou espaço em todos os grandes veículos de comunicação o caso ocorrido na UNIBAN, que teve como protagonista uma jovem estudante do curso de turismo.
A aluna foi à aula vestindo curtíssimos trajes e acabou despertando os instintos mais primitivos dos seus colegas de faculdade.
Primitivos, explico, no pior sentido.
Sempre acreditei que o humanismo precede, ou caminha lado a lado, com o socialismo. E que a superação de sentimentos e de valores mesquinhos e preconceituosos são apenas alguns degraus que temos que subir se temos como horizonte a construção de uma sociedade justa e solidária.
Confesso minha decepção com essa juventude, que é também a da minha geração, já que com os meus trinta e três anos, apesar da oposição de alguns, considero-me jovem.
É esse mesmo tipo de preconceito e estupidez que justifica, por exemplo, casos como o que já cansamos de assistir, em que jovens de classe média alta resolvem espancar ou atear fogo em um morador de rua, só por “zoeira”.
Vendo por esse ângulo, aquela aluna da UNIBAN ainda saiu no lucro, “só” foi vaiada e chamada de puta. Saiu com sua honra e dignidade destroçadas, mas, ao menos, com sua integridade física preservada.
Sempre esperei e continuo esperando mais da minha e das seguintes gerações. Simplesmente por acreditar que é da natureza humana evoluir.
Frutos de uma educação elitista, de um conceito superficial de imagem, da adoração a burrice, do exercício constante de não raciocínio, é essa a juventude preconceituosa que carrega o estado de São Paulo a condição que se encontra. Elege, reelege e se orgulha de um governo de mentira, que permitiu a estruturação de um PCC, ao mesmo tempo em que aceitava passivamente o nascimento de toda uma geração de analfabetos funcionais. Essa molecada bacana adora essa “forma de gestão”, muito mais sofisticada e cheirosa que a da turma do “sapo barbudo”.
Pior que a frustrante reação da maior parte dos alunos, só mesmo a da direção da universidade, que resolveu expulsar a vítima. Excepcional exemplo para formação de seus alunos.
Quanto a essa inusitada decisão, ao menos a mobilização conduzida pela UNE e por outros segmentos da banda boa da nossa juventude conseguiu reverter o quadro. A menina poderá continuar estudando por lá. Se é que terá condições de chegar até a sala de aula.
A cada vez que leio algo a respeito desse episódio sinto uma mistura de indignação e decepção, no entanto, e pra que não caia em contradição com minhas próprias crenças, sobretudo, na que me ensina que o ser humano possui vocação pra evoluir, espero que esse caso sirva para que, ao menos por um instante, cada um de nós reflita sobre como é possível isso estar acontecendo.

6 de nov de 2009

Cartilha: Arrocho, Descaso e Má Gestão



A Bancada do PT editou cartilha que mostra alguns exemplos dá má administração do governo Serra no Estado de São Paulo, destacando a utilização incorreta de recursos públicos, o menosprezo pelo funcionalismo e abandono dos serviços que mais interessam à maioria do povo paulista.

Clique aqui para ter acesso ao conteúdo da cartilha.

4 de nov de 2009

O Pré-Sal é nosso

A hilária oposição tucana anda mesmo sem discurso. Durante entrevista concedida hoje pelo Prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (PSDB) disse que o programa "Sorocaba Total", que prevê a construção de novas avenidas e de um novo anel viário na cidade, terá o impacto de um pré-sal.
Como é que é? Pré-salzinho???
Bom, então Lippi destoa da tucanada e concorda que o Pré-Sal transformará o país, como dizem Lula e Dilma?
De qualquer forma, é um tema a ser debatido.
O novo anel viário não tem nada de Pré-Sal. É obra importante, mas sozinha não resolve o problema do trânsito na cidade.
É bom lembrar que o grande investimento pretendido não reserva um centavo para o transporte público. Portanto, tem mais buracos que queijo suiço.