Pedagiômetro

31 de mar de 2010

“Almoço de gala” e “Bota-fora” denunciam descaso com políticas públicas


O Partido dos Trabalhadores de São Paulo, em conjunto com os movimentos sindicais e sociais preparam para o dia 31 de março, uma série de manifestações que denunciarão o descaso com políticas públicas do governo de José Serra, que deixa o cargo nesta quarta-feira, para concorrer à presidência da República.

Às 12 horas, no Vão Livre do MASP (Av. Paulista), o funcionalismo do estado promoverá um “almoço de gala” com a presença de personalidades e parlamentares. O valor cobrado será de 4,00 reais, o mesmo do vale refeição. José Serra, um dos convidados, terá uma cadeira reservada.

Às 14 horas, os professores, em greve há duas semanas, farão nova assembleia para avaliar o rumo da paralisação. Após todos seguirão em caminhada até o centro velho da cidade, onde haverá o “Bota Fora de Serra” e das políticas neoliberais.

O secretário Sindical do PT/SP, Ângelo D’Agostini Junior, disse que está contando com a presença de Serra para que ele sinta na pele a realidade de centenas de trabalhadores, das mais diversas categorias, que foram ignoradas durante sua gestão. “Nossa expectativa é de que o governador tucano compareça e almoce o vale coxinha”.

O secretário também explicou que o “Bota Fora” tem como objetivo dar um basta nas políticas neoliberais dos governos “demotucanos” que descartam as políticas públicas, que na sua avaliação, são fundamentais para o desenvolvimento do país.

As categorias envolvidas prometem uma grande mobilização, que contará com boa dose de criatividade a partir de alas, que denunciarão o desmonte do Estado praticado por tais políticas.

Fonte: www.pt-sp.org.br

30 de mar de 2010

Em São Paulo, alunos terminam o ensino médio com conhecimento de 8ª série

Com informações dos Jornais Folha de São Paulo e Agora

Alunos do terceiro ano do ensino médio saem das escolas estaduais paulistas com conhecimento de um estudante da 8ª série. Apenas 32 escolas - o equivalente a apenas 1% de toda rede pública estadual - atingiram no ano passado um patamar de qualidade considerado ideal por especialistas e pelo próprio governo, que seria um nível semelhante ao da Finlândia (líder em rankings internacionais de educação)

Os dados baseados no Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) referem-se ao ano de 2009 e revelam que mesmo os indicadores positivos estão abaixo dos padrões considerados ideais pelo setor, como a elevação da média em Língua Portuguesa. Por exemplo, na 4ª série, a nota subiu de 180 para 190,4 em português, em uma escala que vai até 500 e, cujo nível ideal, seria 200.

A capital paulista tem apenas 2 escolas estaduais que estão entre as melhores. Entre as que obtiveram a pior avaliação, há problemas recorrentes, como a falta de estabilidade dos professores, a violência e a falta de infra-estrutura.

Segundo o pesquisador José Marcelino Rezende Pinto, da USP de Ribeirão Preto, a estabilidade do corpo docente é um dos indicadores de qualidade no processo de ensino.

Fonte: www.ptalesp.org.br

29 de mar de 2010

O que o Datafolha não destaca

A Folha de São Paulo dá destaque ao fato de a pesquisa de seu instituto apontar mais de 50% de intenção de votos em Geraldo Alckmin.
O que não destaca, é que em pesquisa espontânea, o ex-governador atinge apenas 7 ponto. Isso mesmo, Geraldo foi vice-governador por seis anos, e pelo mesmo período governou o estado.
Foi também candidato a Presidência da República e a Prefeito de São Paulo. Perdeu as duas e só atinge 7 pontos na espontânea. É pouco e demonstra que a disputa no estado está completamente aberta.

Unidade no PT paulista: Suplicy declina de candidatura em favor de Mercadante

Estive hoje na reunião da Executiva do PT estadual que contou com a presença do Senador Eduardo Suplicy.
Como ocorreu com outros pré-candidatos ao governo paulista, Suplicy foi convidado a expor à direção as razões de sua pré-candidatura e sua leitura do estado de São Paulo.
Com a sinceridade que lhe é peculiar, o Senador disse que havia se colocado à disposição do PT por entender que poderia contribuir, já que teria alcançado mais de 10 milhões de votos em 2006.
Falou também dos problemas do estado e do quanto será importante transferir o modelo de gestão aplicado no governo Lula para cá.
Aberto o debate, o que se viu foi uma rica discussão. Argumentos sólidos que demonstraram a maturidade e a unidade do partido em São Paulo.
Ao final da reunião, Suplicy disse ter sido convencido de que o melhor para o PT e para o estado, neste momento, seria mesmo a candidatura de Mercadante, declinando, então, de sua própria pré-candidatura.
Gesto grandioso de um grande petista. Aliás, por falar em grandes gestos, assim também considero o de Mercadante, que teria uma eleição tranquila ao Senado, mas que aceitou a tarefa do partido para enfrentar uma verdadeira guerra no estado.
Pois é assim que se constrói um grande partido, com grandes militantes.

Muita calma com a "Datafolha"

Pesquisa Datafolha divulgada no último final de semana aponta crescimento da candidatura Serra e queda de Dilma. É isso? Bom, é melhor analisar os dados e os fatos com calma, já que ainda falta tempo para a única pesquisa que vale, a das urnas.
Em primeiro lugar creio que seja natural uma oscilação positiva de Serra. A príncipio são os seguintes fatores a influenciar tais resultados: 1. Serra finalmente admitiu ser candidato, o que não é surpresa, mas é fato político; 2. O programa do PSDB, bem como suas inserções, foi ao ar antes da pesquisa ir a campo; 3. As obras de maior impacto eleitoral estão programadas para serem entregues nos últimos dez dias de março, antes da desincompatibilização do candidato (aliás, estive hoje em São Paulo e vi que a "nova Marginal Tietê", entregue neste final de semana, ainda não está concluída); 4. Setores da mídia intensificaram os ataques à candidatura de Dilma.
Tudo isso já justificaria algum movimento em favor do tucano. Algo normal, já que o que se espera é que Dilma ganhe a consistência que lhe dará a vitória somente quando a campanha de TV for iniciada.
Mesmo assim o Datafolha, pra não correr riscos, alterou sua metodologia. Incluiu candidatos, alterou amostragem, tudo muito sutil, mas o suficiente para que esta pesquisa não possa ser comparada com outras, já que com métodos diferentes, não vale o tira teima.

26 de mar de 2010

Lippi, um homem que pega (mesmo sem pedir) carona

Quando falávamos em escolas técnicas federais, Lippi desconversava. Quando, Hamilton propôs um Centro Olímpico em Sorocaba que pudesse oferecer opções de práticas esportivas com qualidade, ele disse que isso custaria muito caro e que preferia contruir Centros Esportivos nos bairros (detalhe, em cinco anos de governo de Lippi, mais oito de Amary, nenhum foi construído).
Agora que Lula está na moda não é que o Prefeito foi lhe pedir as duas coisas. Pedidos, aliás, já encaminhados anteriormente pelos companheiros Hamilton Pereira e Iara Bernardi.

Serra anda só

Ficar perto de Lula está fazendo tanto sucesso, que os tucanos daqui (Pannunzio, Renato e Maria Lúcia Amary) não quiseram nem saber de acompanhar o quase ex-governador (vai pela sombra) José Serra na manhã de ontem em Tatuí. Parece que estão com medo de pegar o barco furado em que Serra se meteu, quanto mais longe melhor. Ninguém quer sair na foto ao lado de quem vai perder mais uma eleição.

25 de mar de 2010

Quem vai controlar a controladoria?

Ano passado, depois de tantos escândalos que envolveram o governo de Sorocaba (escritório da China, isenção de impostos de parentes de Secretários, pedofilia, compra de carros em condições suspeitas, denúncias de propinas no caso Ivanilde, entre outros) o Prefeito Vitor Lippi resolveu criar uma controladoria.
O órgão seria ligado aos seu gabinete e teria a função óbvia de "controlar" as ações e os gastos públicos.
Hoje, no entanto, a imprensa da cidade publica matéria que afirma que há um tucano convidando outras figuras ligadas ao PSDB para ocuparem cargos na tal controladoria.
O pequeno lapso é que o Projeto de Lei que trata da criação da mesma ainda nem foi enviado à Câmara.
Quer dizer que o jogo já está dado. O resultado foi combinado antes do apito.
É só o que faltava. Agora vão ter que criar uma controladoria da controladoria. E o que virá depois?

24 de mar de 2010

Audiência pública sobre o impacto das enchentes em Sorocaba

O vereador Izídio, do PT, promoveu na noite de ontem uma Audiência Pública para debater os impactos das enchentes ocorridas em Sorocaba.
O tema é importantíssimo e os trabalhos foram muito bem conduzidos.
No início, duas importantes apresentações sobre o assunto trataram de expor argumentos que fossem além do excesso de chuvas para justificar os transtornos percebidos no início deste ano.
Sem, é claro, diminuir a importância do grande volume de chuvas no período, muito acima da média. Mas não dá pra tapar o Sol com a peneira, como faz o Prefeito de Sorocaba, e dizer que toda a culpa é de São Pedro e que são poucas as famílias que vivem o drama.
Em poucas palavras, não se combate enchentes com distribuição de galochas e quentinhas, é preciso ir muito além.
O governo local peca por contar com um Plano Diretor omisso, feito sob o olhar do mercado imobiliário e que permite a ocupação irregular de áreas inadequadas para a habitação.
Mas erra principalmente quando finge que o problema não existe. Aí as chuvas de março levam o verão e o assunto cai no esquecimento. Será?
Bom, ao menos à população que ontem compareceu à Câmara não parece disposta a isso. Ali estava a Sorocaba que Lippi finge não existir. A camada excluída e escondida, que antes de ser trabalhada em sua educação ambiental, precisa ser atendida em suas necessidades básicas.
Vivem de forma indigna e graças a iniciativa do Vereador petista tiveram, finalmente, um microfone pra reclamar.
Já perdi a conta de quantas foram as vezes que repeti que Sorocaba é uma das melhores cidades que conheço para se viver, desde que você não precise do Poder Público. Se tiver transporte próprio, escola particular e plano de saúde, a cidade é quase de padrão europeu. É um município que é governado por quem só atende aos "emancipados", que não dependem do estado.
A política social e a proteção oferecida pelo governo Lippi à camada mais pobre que habita a cidade é uma verdadeira tragédia. Um absurdo, um insulto e uma agressão a qualquer ser humano de compreensão razoável quanto ao respeito a dignidade de seu próximo.
Meus cumprimentos ao parlamentar que proporcionou o debate. Espero que tenhamos bons frutos do mesmo.

23 de mar de 2010

Mercadante será o candidato petista ao governo do estado

Há um consenso entre as correntes petistas sobre o nome que deverá representar, não só o partido, mas todo o bloco que está sendo construído de forças que querem propor um modelo diferente para o desenvolvimento do estado de São Paulo. O nome é Mercadante.
Bem, na verdade, há um quase consenso. O senador Eduardo Suplicy ainda insiste na viabilidade de sua candidatura.
Em respeito a tudo o que Suplicy já fez pela democracia, pelo estado e pelo país, seu nome deve ser levado em consideração. Não há como desrespeitar a tradição democrática do PT com o argumento de que existe pressa para que as definições ocorram.
Então, se até a próxima semana não houver um entendimento entre as pré-candidaturas de Mercadante e de Suplicy, as prévias devem ocorrer ainda no mês de abril.
Assim, o que teremos de positivo é que, provavelmente, no início de maio nosso bloco estará nas ruas. E creio muito numa vitória desse bloco.
O modelo de gestão do PSDB em São Paulo está esgotado. Não há como recuperá-lo. Tudo o que depende do estado está falindo, a educação, as polícias, a saúde. A forma como governam é ultrapassada e ineficaz. Um esforço em se implantar um modelo parecido com o trabalhado pelo governo do Presidente Lula deverá tornar nosso estado um lugar mais justo para se viver, além de acelerar seu desenvolvimento.

19 de mar de 2010

17 de mar de 2010

Fumaça estranha no SAAE

No dia 03/09/2009, o jornal Cruzeiro do Sul publicou editorial ("Uma ação inominável") que tratava do tombo dado pelo Prefeito Vitor Lippi no SAAE de Sorocaba, quando da desapropriação do prédio da autarquia para abrigar centro administrativo do Parque Tecnológico.
Inclusive, na oportunidade postei neste blog tal editorial. Pra quem quiser relembrar, é só clicar aqui.
Postei também minha opinião à respeito. Veja aqui.
Agora vem a parte estranha, ontem o jornal Bom Dia Sorocaba publicou discreta nota que dizia que o tal prédio não servirá mais ao Parque Tecnológico e que retornará ao SAAE.
Fiquei com a impressão (e espero estar errado) de ter algo estranho nessa estória. Vejamos os próximos capítulos.

Servidores municipais: aumento? que aumento?

O Prefeito Vitor Lippi enviou à Câmara Municipal proposta de "reajuste" salarial dos servidores num percentual 3,65%. Os servidores gritaram, os vereadores governistas não ouviram e a proposta foi aprovada. Apenas três vereadores votaram contra, dentre eles, os dois do PT. Postura, aliás, corretíssima.
Lippi tem dito descaradamente que a folha salarial do município cresce entre mais de 10% ao ano. Fica então a pergunta: e o orçamento? tem diminuído?
Num ano ruim, o Executivo costuma substimar a previsão orçamentária em cerca de 10%. Ou seja, discurso fácil e esperteza demais.

Pedágios do Serra: os mais caros do mundo

A comparação pode ser feita com as rodovias federais, com as francesas, norte-americanas ou a que o leitor escolher.

Os paulistas pagam os pedágios mais caros do mundo. A comparação pode ser feita com as rodovias federais, com as francesas, norte-americanas ou a que o leitor escolher. Se não bastasse, cerca de 25% das rodovias estaduais estão sob exploração de concessionárias privadas. Na França, país europeu com mais vias pedagiadas, este índice chega a 16%. Na malha pavimentada do governo federal, o índice é de 6%.

As rodovias paulistas já eram pedagiadas antes de 1998. Quem cobrava era uma empresa estatal. Em 1997 - sob gestão do Estado - havia 40 praças de pedágio. No ano seguinte, começam as concessões. Já em 2007, os pedágios chegaram a 143 no estado. Agora, em 2010, chegamos a 227. Em pouco mais de dez anos, os pedágios, no estado de São Paulo, se multiplicaram em mais de cinco vezes. A receita das concessionárias cresceu de forma exponencial. Ela saiu de R$ 1,6 bilhão em 2002 e chegou aos R$ 4,55 bilhões em 2009, um aumento de 183%, quase o dobro da inflação do período medida pelo IPCA.

Hamilton Pereira


Veja aqui tabela comparativa de valores dos pedágios.

16 de mar de 2010

O imbróglio Mercadante x Ciro Gomes

Tenho sido cobrado sobre minha posição sobre a encrenca que cerca a escolha do candidato ao governo do estado que representará a ampla frente de oposição que está se formando para combater o candidato tucano.
Tal assunto tem sido pauta obrigatória nas reuniões da executiva do partido e creio que esteja perto de um desfecho. E acho que o final será feliz, creio mesmo que Mercadante seja o candidato.
Há um esforço de nove partidos para a construção de um bloco que enfrente Alckimin em boas condições. Por isso o nome de Ciro ganhou tanta força, porque havia um entendimento de que seria um nome com consistência para enfrentar as eleições, já que Mercadante, a primeira opção de fato (de todos), até então insistia que preferia se candidatar à reeleição para o Senado.
Acontece que Ciro não entendeu, ou não gostou do jogo. Nitidamente fez a leitura incorreta, senão vejamos seu discurso ao longo dos últimos meses.
Na primeira vez que foi convidado a discutir o governo do estado disse que não achava a melhor opção, já ainda se encontrava em melhor posição que Dilma nas pesquisas.
Depois Dilma passou e ele disse que ela tinha teto.
E ela superou o tal teto, já se aproxima o momento, inclusive, em que ela passará a liderar as pesquisas, até a vitória.
Ciro diz agora que em algum momento Dilma errará, já que é a menos experiente dentre os que disputam. Então tá, agora Ciro já tá rogando praga. Mas não desiste da pose.
Enfim, acho que Ciro errou feio. Mas também acho que isso teve um lado bom, aliás, muito bom. Creio ter sido esse erro o responsável pelo convencimento de Mercadante em assumir a candidatura ao governo do estado.
Ele ainda não declarou isso oficialmente, mas eu tenho muita convicção de que isso ocorrerá nos próximos dias.
Venceremos!

Inserção do PT São Paulo



A justiça determinou que essa inserção deixasse de ser veiculada em rádio e TV. Mas,como este espaço é livre. Aqui a proibição não vale.

Operação "Tempestade no Cerrado" - Agora é guerra!


“Tempestade no Cerrado”: é o apelido que ganhou nas redações a operação de bombardeio midiático sobre o governo Lula, deflagrada nesta primeira quinzena de Março, após o convescote promovido pelo Instituto Millenium.

A expressão é inspirada na operação “Tempestade no Deserto”, realizada em fevereiro de 1991, durante a Guerra do Golfo.

Liderada pelo general norte-americano Norman Schwarzkopf, a ação militar destruiu parcela significativa das forças iraquianas. Estima-se que 70 mil pessoas morreram em decorrência da ofensiva.

A ordem nas redações da Editora Abril, de O Globo, do Estadão e da Folha de S. Paulo é disparar sem piedade, dia e noite, sem pausas, contra o presidente, contra Dilma Roussef e contra o Partido dos Trabalhadores.

A meta é produzir uma onda de fogo tão intensa que seja impossível ao governo responder pontualmente às denúncias e provocações.

As conversas tensas nos "aquários" do editores terminam com o repasse verbal da cartilha de ataque:

1) Manter permanentemente uma denúncia (qualquer que seja) contra o governo Lula nos portais informativos na Internet.

2) Produzir manchetes impactantes nas versões impressas. Utilizar fotos que ridicularizem o presidente e sua candidata.

3) Ressuscitar o caso “Mensalão”, de 2005, e explorá-lo ao máximo. Associar Lula a supostas arbitrariedades cometidas em Cuba, na Venezuela e no Irã.

4).Elevar o tom de voz nos editoriais.

5) Provocar o governo, de forma que qualquer reação possa ser qualificada como tentativa de “censura”

6)Selecionar dados supostamente negativos na Economia e isolá-los do contexto.

7)Trabalhar os ataques de maneira coordenada com a militância paga dos partidos de direita e com a banda alugada das promotorias.

8)Utilizar ao máximo o poder de fogo dos articulistas.
Quem está por trás

Parte da estratégia tucano-midiática foi traçada por Drew Westen, norte-americano que se diz neurocientista e costuma prestar serviços de cunho eleitoral.

É autor do livro The Political Brain, que andou pela escrivaninha de José Serra no primeiro semestre do ano passado.

A tropicalização do projeto golpista vem sendo desenvolvida pelo “cientista político” Alberto Carlos Almeida, contratado a peso de ouro para formular diariamente a tática de combate ao governo.

Almeida escreveu Por que Lula? e A cabeça do brasileiro, livros que o governador de São Paulo afirma ter lido em suas madrugadas insones.
O conteúdo

As manchetes dos últimos dias, revelam a carga dos explosivos lançados sobre o território da esquerda.

Acusam Lula, por exemplo, de inaugurar uma obra inacabada e “vetada” pelo TCU.

Produzem alarde sobre a retração do PIB brasileiro em 2009.

Criam deturpações numéricas.

A Folha de S. Paulo, por exemplo, num espetacular malabarismo de ideias, tenta passar a impressão de que o projeto “Minha Casa, Minha Vida” está fadado ao fracasso.

Durante horas, seu portal na Internet afirmou que somente 0,6% das moradias previstas na meta tinham sido concluídas.

O jornal embaralha as informações para forjar a ideia de que havia alguma data definida para a entrega dos imóveis.

Na verdade, estipulou-se um número de moradias a serem financiadas, mas não um prazo para conclusão das obras. Vale lembrar que o governo é apenas parceiro num sistema tocado pela iniciativa privada.

A mesma Folha utilizou seu portal para afirmar que o preço dos alimentos tinha dobrado em um ano, ou seja, calculou uma inflação de 100% em 12 meses.

A leitura da matéria, porém, mostra algo totalmente diferente. Dobrou foi a taxa de inflação nos dois períodos pinçados pelo repórter, de 1,02% para 2,10%.

Além dos deturpadores de números, a Folha recorre aos colunistas do apocalipse e aos ratos da pena.

É o caso do repórter Kennedy Alencar. Esse, por incrível que pareça, chegou a fazer parte da assessoria de imprensa de Lula, nos anos 90.

Hoje, se utiliza da relação com petistas ingênuos e ex-petistas para obter informações privilegiadas. Obviamente, o material é sempre moldado e amplificado de forma a constituir uma nova denúncia.

É o caso da “bomba” requentada neste março. Segundo Alencar, Lula vai “admitir” (em tom de confissão, logicamente) que foi avisado por Roberto Jefferson da existência do Mensalão.
Crimes anônimos na Internet

Todo o trabalho midiático diário é ecoado pelos hoaxes distribuídos no território virtual pelos exércitos contratados pelos dois partidos conservadores.

Três deles merecem destaque...

1) O “Bolsa Bandido”. Refere-se a uma lei aprovada na Constituição de 1988 e regulamentada pela última vez durante o governo de FHC. Esses fatos são, evidentemente, omitidos. O auxílio aos familiares de apenados é atribuído a Lula. Para completar, distorce-se a regra para a concessão do benefício.

2) Dilma “terrorista”. Segundo esse hoax, além de assaltar bancos, a candidata do PT teria prazer em torturar e matar pacatos pais de família. A versão mais recente do texto agrega a seguinte informação: “Dilma agia como garota de programa nos acampamentos dos terroristas”.

3) O filho encrenqueiro. De acordo com a narração, um dos filhos de Lula teria xingado e agredido indefesas famílias de classe média numa apresentação do Cirque du Soleil.

O que fazer

Sabe-se da incapacidade dos comunicadores oficiais. Como vivem cercados de outros governistas, jamais sentem a ameaça. Pensam com o umbigo.

Raramente respondem à injúria, à difamação e à calúnia. Quando o fazem, são lentos, pouco enfáticos e frequentemente confusos.

Por conta dessa realidade, faz-se necessário que cada mente honesta e articulada ofereça sua contribuição à defesa da democracia e da verdade.

São cinco as tarefas imediatas...

1) Cada cidadão deve estabelecer uma rede com um mínimo de 50 contatos e, por meio deles, distribuir as versões limpas dos fatos. Nesse grupo, não adianda incluir outros engajados. É preciso que essas mensagens sejam enviadas à Tia Gertrudes, ao dentista, ao dono da padaria, à cabeleireira, ao amigo peladeiro de fim de semana. Não o entupa de informação. Envie apenas o básico, de vez em quando, contextualizando os fatos.

2) Escreva diariamente nos espaços midiáticos públicos. É o caso das áreas de comentários da Folha, do Estadão, de O Globo e de Veja. Faça isso diariamente. Não precisa escrever muito. Seja claro, destaque o essencial da calúnia e da distorção. Proceda da mesma maneira nas comunidades virtuais, como Facebook e Orkut. Mas não adianta postar somente nas comunidades de política. Faça isso, sem alarde e fanatismo, nas comunidades de artes, comportamento, futebol, etc. Tome cuidado para não desagradar os outros participantes com seu proselitismo. Seja elegante e sutil.

3) Converse com as pessoas sobre a deturpação midiática. No ponto de ônibus, na padaria, na banca de jornal. Parta sempre de uma concordância com o interlocutor, validando suas queixas e motivos, para em seguida apresentar a outra versão dos fatos.

4) Em caso de matérias com graves deturpações, escreva diretamente para a redação do veículo, especialmente para o ombudsman e ouvidores. Repasse aos amigos sua bronca.

5) Se você escreve, um pouquinho que seja, crie um blog. É mais fácil do que você pensa. Cole lá as informações limpas colhidas em bons sites, como aqueles de Azenha, PHA,Grupo Beatrice, entre outros. Mesmo que pouca gente o leia, vai fazer volume nas indicações dos motores de busca, como o Google. Monte agora o seu.

A guerra começou. Não seja um desertor.

Mauro Carrara - fonte: blog - Escrevinhador

Postagem sugerida pelo companheiro Reinaldo, do Bah!Caroço

15 de mar de 2010

"O vírus da paz está comigo", diz Lula no início da visita a países do Oriente Médio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em um discurso a empresários em Israel, no início de sua visita ao Oriente Médio, que tem o "vírus da paz".

"Eu acho que o vírus da paz está comigo desde que estava no útero da minha mãe. Não me lembro do dia em que briguei com alguém", afirmou.
"Eu já fiz muita disputa política, pertenço a um partido complicado. (...) Temos divergências políticas de causar inveja a qualquer pessoa do mundo", acrescentou Lula, ao lado do presidente de Israel, Shimon Peres, arrancando risos da plateia.

No discurso de improviso, Lula exibiu suas credenciais como uma espécie de especialista no diálogo. Mencionou, por exemplo, um encontro com o ex-presidente George W. Bush em 2003 em que o presidente brasileiro disse que o Iraque não era um problema do Brasil e que sua prioridade era combater a miséria.

"Pensei que teria animosidade na minha relação com o presidente Bush... Como fui sindicalista a vida inteira, imaginava que ia brigar muito com os Estados Unidos. Eis que o presidente Bush terminou o mandato e eu vou terminar o meu sem que tenhamos tido nenhuma divergência. Quando tivemos, resolvemos por telefone", disse.

Lula mencionou também o primeiro discurso de Evo Morales ao assumir a presidência da Bolívia. "O primeiro discurso foi tomar a Petrobras. Mas entendemos que o gás era um direito da Bolívia, um patrimônio do povo boliviano e fizemos um acordo com a Bolívia", lembrou.

"Tinha gente que queria que o Brasil fosse duro com a Bolívia. Talvez por causa da minha origem, não conseguia perceber como um metalúrgico de São Paulo ia brigar com um índio boliviano. Dialogamos e hoje estamos numa relação excepcional", resumiu.

Justificando a decisão de dialogar com a Bolívia, Lula acrescentou: "A nós brasileiros não nos interessa sermos grandes e ricos, se estivermos cercados de pobres. Não é sensato do ponto de vista da geopolítica estar cercado de gente mais pobre que você de todos os lados", disse Lula, sem fazer uma referência direta ao conflito entre israelenses e palestinos.

Contribuição brasileira
Após o encontro entre Peres e Lula, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que na reunião foi discutida a possível contribuição do Brasil ao processo de paz. No entanto, o chanceler não deu detalhes sobre qual papel concreto o país poderia desempenhar nas negociações.

"Ele valorizou muito o papel do Brasil em mais de uma situação, podendo ajudar a promover o diálogo. Ele acha que essa capacidade de fazer amigos com todos pode ser muito útil nessas situações, mas ali não era o momento de se discutirem esses detalhes", disse Amorim.

Antes de iniciar seu discurso de improviso, Lula havia falado a empresários israelenses sobre as oportunidades de investimento no Brasil, citando o PAC, a Copa do Mundo, as Olimpíadas, o trem de alta velocidade entre Campinas, São Paulo e Rio e as oportunidades de exploração de petróleo na Bacia de Campos.

Lula disse ainda que o Brasil vai "certamente" criar dois milhões de empregos em 2010 e que a economia vai crescer mais de 5% neste ano.

Fonte: PT

12 de mar de 2010

A morte de Glauco

Foi assassinado ontem um dos maiores cartunistas do Brasil, Glauco.
Ele e seu filho foram mortos a tiros.
Acho que todos os que estão entre os 30 e os 40 anos de idade, como eu, tiveram como principal leitura descomprometida durante a adolescência os trabalhos de Glauco. Eram muitos e eram ótimos.
Geraldão, Zé do Apocalipse entre tantos outros que até hoje, vez ou outra, todos nós damos uma olhadinha, nas tiras de jornais.
Grande perda.

As tiras de Glauco: Geraldão e Zé do Apocalipse



11 de mar de 2010

Saúde Pública em Sorocaba: martírio sem fim



Atendimento demora e revolta pacientes
Leandro Nogueira
Notícia publicada na edição de 11/03/2010 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 4 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.


Às 20h10 de 4ª feira (10), dezenas de pacientes que aguardavam por atendimento na Unidade Pré-Hospitalar da Zona Oeste reclamavam revoltados pela demora no atendimento médico. Alguns diziam que haviam chegado às 13h30 e continuavam à espera. Já a Prefeitura alegou que ontem houve aumento na demanda da unidade, sendo que até as 20h30 foram atendidas 542 pessoas, o equivalente à média de um dia inteiro (24 horas). Informou que não existe tempo médio para atendimento, porque depende da gravidade do paciente que chega.

O encanador industrial João Evangelista Brito Pinto, 34 anos, queixava que o filho de 12 anos de idade estava ali desde as 13h30, por causa do tornozelo torcido. Ele foi chamado para o atendimento enquanto conversava com a reportagem, por volta das 20h. “A Prefeitura deveria colocar mais médicos”, reclamou o encanador.

O vendedor Oscar de Almeida Leite Neto, 31 anos, era o mais inconformado. Dizia que chegou às 14h05, passado pela triagem e esperava até as 20h. “Ninguém explica o que acontece, dizem apenas que vou ser atendido, mas na hora de arrecadar impostos é perigoso o fiscal da Prefeitura bater na porta se atrasar o pagamento”, dizia o vendedor. Melissa Fidêncio Gonçalves, 19 anos, reclamava que esperava o atendimento desde às 15h. Dizia ter febre e dor de garganta, que passou pela triagem e continuava aguardando. “Sofri bastante durante a tarde toda, sem previsão para o atendimento”, explicou.

A Secretaria Municipal da Saúde informou que não tinha condições de verificar o motivo pelos quais os pacientes esperavam e se de fato aguardavam o tempo que declaravam, já que, pelo horário (20h), a UPH Oeste funcionava em atendimento de plantão, impossibilitando a checagem do horário em que foi preenchida a ficha em que cada um deles chegou. Alguns pacientes reclamaram que havia apenas um médico atendendo, mas segundo a Secretaria, no plantão noturno seriam oito: quatro clínicos gerais e quatro pediatras. Não informou quantos atenderam à tarde, mas que o correto são oito médicos e que algumas vezes os pacientes têm idéia equivocada, achando que faltam médios porque algumas salas ficam desocupadas.
Fonte: Cruzeiro do Sul
...
É impressionante como o tempo passa e os problemas continuam os mesmos.
Ao menos, agora, a situação está sendo desmascarada, porque até há pouco tempo o Prefeito Vitor Lippi simplesmente negava a existência de problemas nas unidades e ficava por isso mesmo.
Sorocaba é grande, tem um ótimo orçamento e todas as condições de oferecer um serviço de melhor qualidade. A questão é de prioridade política.

10 de mar de 2010

Dilma cresce. Agora, tudo que Lula disser será alvo de crítica.

Tem sido essa a lógica. A cada sinal de crescimento da candidatura de Dilma, a direita, sem discurso e nem projeto, busca uma forma de neutralizar a onda que deve levá-la à liderança das pesquisas de intenção de voto até o início da campanha eleitoral, em julho.
A última polêmica foi criada em torno da declaração de Lula sobre as greves de fome de cubanos, presos políticos, que militam contra o regime daquele país.
Lula disse ser contra esse tipo de manifestação e que há outras formas de protestar. Disse ainda imaginar o caos que seria se todos os presos do estado de São Paulo, por exemplo, resolvessem fazer o mesmo para protestar.
Pronto, o ataque foi iniciado. Bombardeios por todos os lados. Gritaram que Lula é conivente com uma "ditadura" em Cuba, que está sendo leniente com a agressão a liberdade de expressão e por aí foram.
Ora, se há uma coisa da qual nosso presidente nunca pode ser acusado é de incoerência. Se fosse a favor de greves de fome, teria ele próprio feito, quando foi preso político. Ou estimulado companheiros, como Dilma, a fazerem na ocasião em que foram perseguidos pelo regime militar.
Não, Lula preferiu o diálogo e a construção de um instrumento político que lhe desse condições de disputar o poder pela porta da frente, sem armas de fogo e pelo convencimento de milhões de brasileiros e brasileiras. Ajudou então a fundar o PT.
Quando se liga a frase dita com o dono da voz, é fácil perceber que há coerência em suas palavras.
Mas, uma oposição que não tem discurso e nem projeto, porque atacar um governo de bons resultados e muito bem avaliado é suicídio, não tem outra alternativa senão a tentativa de confundir o eleitor.
A estratégias dos demo-tucanos é clara, tentar fazer de Dilma a temida guerrilheira.
É lamentável para o país que não tenham algo melhor a oferecer do que esse debate rasteiro.

PT vai à Justiça contra mentiras, calúnias e agressões criminosas de Veja, Estadão e Blat

Ataque absurdo dO Estado de S.Paulo usa editorial para acusar o PT de “o partido da bandidagem” – extrapolando os limites da luta política e da civilidade
09/03/2010

Leia abaixo nota divulgada nesta terça-feira (9) pelo presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra:

Nota do Partido dos Trabalhadores

É com perplexidade e absoluta indignação que o Partido dos Trabalhadores vem acompanhando a escalada de ataques mentirosos, infundados e caluniosos por parte de alguns órgãos da imprensa a partir de matéria sensacionalista publicada na última edição da revista Veja.

O mais absurdo desses ataques se deu hoje, terça-feira (9), quando o jornal O Estado de S.Paulo usou seu principal editorial para acusar o PT de ser “o partido da bandidagem” – extrapolando todos os limites da luta política e da civilidade sem qualquer elemento que sustente sua tese.

O PT tem uma incontestável história de lutas em defesa da democracia, da cidadania, da justiça e das liberdades civis. Nasceu dessas lutas, se consolidou a partir delas e, nos governos que conquistou, tem sido o principal promotor da idéia de um Brasil efetivamente para todos, com absoluto respeito às instituições democráticas, às regras do jogo político e ao direito fundamental à liberdade de opinião e expressão.

Para nós, a diversidade de opiniões é a essência não só da democracia, mas também do próprio PT. Devemos a essa característica, em grande parte, o sucesso de nosso projeto de país, cujo apoio majoritário da população se dá em oposição aos interesses da minoria que nos ataca.

Nem o PT nem a sociedade brasileira podem aceitar o baixo nível para o qual parte da mídia ameaça levar o embate político às vésperas de mais uma eleição presidencial. O Brasil não merece isso. A democracia não merece isso. A liberdade de imprensa, defendida pelo PT mais do que por qualquer outro partido, não merece que façam isso em nome dela.

O PT não entrará nesse jogo, no qual só ganham aqueles que têm pouco ou nenhum compromisso com a democracia. Mas buscará, pelas vias institucionais, a devida reparação judicial pelas infâmias perpetradas contra o partido e seus milhões de militantes nos últimos dias.

Acionaremos judicialmente o jornal o Estado de S.Paulo, pelo editorial desta terça, e a revista Veja, pela matéria que começou a circular no último sábado. Também representaremos no Conselho Nacional do Ministério Público contra o promotor José Carlos Blat, fonte primária de onde brotam as mentiras, as ilações, as acusações sem prova e o evidente interesse em usar a imprensa para se promover às custas de acusações desprovidas de qualquer base jurídica ou factual.

José Eduardo Dutra
Presidente Nacional do PT

9 de mar de 2010

Quebra geral na Câmara de Águas de Lindoia



Já disse várias vezes que acho a atual composição da Câmara de Sorocaba fraca. Com alguns vereadores que aceitam passivamente as ordens do Executivo.
Afinal, não é normal que uma cidade assista em um ano três Secretários municipais serem presos e a Câmara sequer instaurar uma CPI para apurar os casos.
Mas, a bem da verdade, tem lugar pior...

PSDB erra em insistir na tática da antiga UDN, diz Flávio Dino

Fonte: vermelho.org.br

Em meio ao debate nesta segunda (8), na Câmara dos Deputados, envolvendo parlamentares do PT e PSDB sobre a matéria de capa da revista Veja em que o secretário de finanças petista João Vaccari Neto é envolvido num esquema de desvio de dinheiro da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (BANCOOP), o deputado Flávio Dino (PCdoB-MA) prestou solidariedade ao PT e deu conselhos aos tucanos.
“Impressiona-me a esta altura do debate pré-eleitoral que queira o PSDB repetir a tática eleitoral de 2006, que foi derrotada, fugindo do debate econômico, social e pretendeu o monopólio da moral com denuncismo que remonta uma matriz bastante antiga da política brasileira, que é a UDN”, disse Dino.

Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) afirmou que em nome da liderança não poderia deixar de falar sobre as denúncias da revista. “Caiu a casa do tesoureiro do PT. Está aqui na capa: O petista que vai cuidar das finanças da campanha da Dilma Rousseff é apontado em inquérito como pivô de um esquema que desviou dezenas de milhões de reais”, provocou o tucano.

O deputado Domingos Dutra (PT-MA) rebateu dizendo que a revista tenta requentar uma denuncia antiga e sem fundamento. Para ele, o objetivo é abafar na mídia os escândalos envolvendo os democratas, ex-PFL, que acabam prejudicando a candidatura tucana. “Tentam colocar no mesmo balaio de gato lideranças do PT”, diz Dutra para quem a grande mídia está incomodada com a possibilidade de Dilma Rousseff vencer no primeiro turno.

Matéria completa no site do PCdoB.

8 de mar de 2010

Desespero ou preconceito?

O jornal Bom Dia Sorocaba trouxe nas edições de ontem e de hoje cartas de leitores destilando rancor e ódio ao PT e à sua pré-candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff.
São de enojar.
A pergunta seria a seguinte, trata-se de preconceito de um setor atrasado de nossa sociedade, ou mesmo desespero em ver a candidata petista caminhando a passos largos para a vitória?
Creio que muito dos dois.
Uma das cartas sugere uma comparação entre Lula, Dilma e Hitler. Dá pra acreditar? Não consigo medir o quanto um imbecil como esse pode contribuir com um debate que deveria ser levado mais a sério, quanto ao futuro do país.
Diz ainda que Hitler, ao menos, teria se suicidado. E que como Dilma não o faria, caberia às Forças Armadas botá-la para correr.
Apesar de os tais textos terem me embrulhado o estômago, tento compreender racionalmente o que faz esse ódio e esse preconceito superarem o bom senso.
Acho mesmo que tais cidadãos, que escrevem livremente o que pensam justamente porque figuras corajosas e comprometidas com a democracia (como a própria Dilma) lutaram para que isso fosse possível, se remoem em sentimentos menores pelo simples fato de terem que conviver com um operário que conseguiu governar muito melhor que o príncipe dos sociólogos da elite brasileira. Só isso já os provoca.
Há também uma certa saudade dos tempos da ditadura. Vou além, há, no DNA dessa elite rancorosa uma saudade avassaladora da época em que podiam tudo, sem regras, às custas da exploração. De quando negros eram escravos, de quando mulheres não votavam, de quando governadores, como o Arruda, não eram presos.
O desespero desse povo é um alento. Percebo nisso o último suspiro da ARENA.
Pois já é tarde. Deveriam ter ido há muito tempo.

Sorocaba: TCE julga oito licitações irregulares

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou irregulares mais dois contratos da Prefeitura de Sorocaba, desta vez referentes à prestação de serviços de limpeza técnica hospitalar para trinta centros de saúde espalhados pelos bairros. Além disso, apontou irregularidades em termos aditivos de outro contrato que já havia sido julgado irregular, por dispensa de licitação, entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e a empresa Vector Engenharia e Sistemas de Automação Ltda., responsável por desenvolver projeto, implantação e controle das doze estações elevatórias de esgoto que conduzem efluentes à Estação de Tratamento “Sorocaba 1”. Em quinze dias o TCE já apontou oito irregularidades em licitações e contratos feitos pelo governo Lippi (PSDB) que somam quase R$ 12 milhões. A média é de um contrato irregular a cada dois dias. Por meio de nota, a Secretaria de Administração (Sead) informa que somente poderá se pronunciar a respeito do assunto, após ter acesso ao teor do acórdão.

Veja matéria completa no site do jornal Cruzeiro do Sul.

7 de mar de 2010

Assim desejava José Serra


E pensar que se Arruda não estivesse preso poderia ser o vice de Serra.
Que dupla!

5 de mar de 2010

Vídeo - PT 30 anos


Ao longo de sua história o PT produziu vídeos excelentes. Mas, esse está acima da média, vale a pena ser visto.
Em especial pela referência às mulheres, tendo em vista o 08 de março.

3 de mar de 2010

Casa Civil: Folha de S.Paulo maquia e manipula dados do PAC

A guerra está só começando. Com uma oposição sem projeto a oferecer ao país e sem uma militância que se disponha a defender o indefensável, resta-lhes o ataque por meio de seus instrumentos, ou seja, por meio de veículos da grande mídia (sempre disposta a atacar Lula, Dilma, o PT e quem mais se entende com "essa raça").
A Folha destacou ontem que o governo havia distorcido dados do PAC. O governo respondeu.

Leia abaixo resposta da Casa Civil da Presidência da República a propósito da manchete do jornal Folha de S.Paulo desta terça-feira (2):

FOLHA DE S. PAULO MAQUIA DADOS SOBRE O PAC

1. São infundadas e inaceitáveis as acusações do jornal Folha de S. Paulo (02.03.2010) a respeito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Se existe "maquiagem" ou tentativa de "esconder" informações em relação ao PAC, ela está na reportagem do jornal, e não nos balanços periódicos do Programa.

2. A Casa Civil da Presidência da República reitera que não há hipótese de manipulação das informações dos nove relatórios do PAC. Os balanços são transparentes e sempre foram amplamente divulgados e exaustivamente analisados pela imprensa. Tanto é assim que, a partir deles, a própria Folha pode fazer sua pesquisa e sua pauta para a elaboração da reportagem. Além disto, os dados estão disponíveis a qualquer interessado na internet

3. Todas as alterações de cronogramas das ações do PAC estão registradas nos balanços, como, aliás, admite a própria Folha ao longo do texto: "(...) em consultas ao primeiro balanço oficial do PAC, de maio de 2007, e aos oito seguintes (...) descobre-se que muitas das obras (...) passaram por uma revisão de metas e tiveram seu prazo de conclusão dilatado..."

4. Os balanços do PAC sempre fizeram referência às ações desenvolvidas dentro do Programa, classificando seu andamento como "adequado", "atenção" ou "preocupante" de acordo com os riscos apresentados à execução de cada uma.

5. Mesmo alertada sobre esse critério objetivo, a Folha optou pelo caminho da manipulação ao selecionar uma amostra parcial de 75 ações do primeiro balanço (de um total de 1.646) para concluir, de maneira premeditada, que 75% das ações do PAC estão atrasadas. A Folha erra ao tomar o resultado de uma amostra e aplicar o percentual sobre o total de ações.

6. O fato é que das 2.471 ações monitoradas, metade foi concluída, 44% estão com ritmo adequado de execução, 5% em atenção e 1% em situação preocupante. Se metade foi concluída, como poderia haver 75% atrasadas?

7. A verdade é que, em valor, 40,3% das ações foram concluídas, representando investimentos de R$ 256,9 bilhões. Somados às ações em andamento, os investimentos do PAC, de 2007 a 2009, totalizaram R$ 403,8 bilhões - 63,3% da meta até o final de 2010.

8. Já o desmembramento de algumas ações (que o jornal chama de "fatiamento") deve-se a sua complexidade e visa a aprimorar seu monitoramento. É o caso, por exemplo, da duplicação da BR 101 Nordeste, obra de mais de 1.000 Km de extensão, atravessando seis estados, e com diferentes estágios de execução.

Assessoria de imprensa da Casa Civil
Terça-feira, 2 de março de 2010

2 de mar de 2010

Crescimento de Sorocaba tem ligação direta com política econômica do Governo Federal

O sentimento geral da população sorocabana é de que a cidade vai bem, e que isso teria relação com uma boa administração municipal, ou seja, do governo Vitor Lippi.
Pois o que vejo é uma cidade absolutamente parada sob o aspecto da administração local. Aliás, a prática dos governos do PSDB por aqui é a de planejar sempre um excelente último ano de mandato. Inaugurar tudo às pressas muito perto das eleições e assim garantir bons resultados.
Pois sugiro um exercício: tente se lembrar do último investimento de impacto em saúde na cidade. Ou na educação. Qual o grande programa de moradia em Sorocaba? O trânsito hoje está melhor ou pior que há três anos?
Poderia ir muito além no exercício, mas acho que já deu pra entender onde quero chegar. Sorocaba é uma das melhores cidades que conheço para se viver, desde que você não dependa de serviços públicos.
E como é que a população não percebe essa paralisia da administração local? Tenho uma tese a respeito. Creio que o sucesso da política econômica do Governo do Presidente Lula tenha elevado um expressivo número de famílias da cidade à classe média. E isso teria diminuído em muito a dependência das mesmas em relação aos serviços públicos.
Há muito mais gente, hoje, utilizando convênios médicos particulares, tendo seu próprio veículo ou pagando escolas particulares para seus filhos, por exemplo.
Com melhor renda, a população vive mais feliz e tende a transferir esse sentimento a uma aprovação falsa ao governo municipal.
A origem, portanto, do bem estar do sorocabano, estaria na estabilidade do país.
Dois bons exemplos recentes confirmam esse momento: a instalação, em breve, da Toyota na cidade, e a inauguração que acontece hoje, com as presenças de Lula e Dilma da CASE, que volta a produzir na cidade após alguns anos.
É bom lembrar que a saída dessa empresa aconteceu durante os governo FHC (Federal) e Renato Amary (Municipal) que nada fizeram para impedir o fechamento da unidade. Felizmente hoje uma nova página será escrita sobe o tema, dessa vez com notícias muito melhores para o povo sorocabano.

1 de mar de 2010

A CPI das Propinas, em Sorocaba

Estou acreditando na criação de CPI que investigue os casos relacionados ao pagamento de propinas para a liberação de alvarás de funcionamento, em Sorocaba.
O momento político que vive a Câmara Municipal me parece mais próximo de uma independência e o maior exemplo disso foi a derrubada de um veto do Prefeito Vitor Lippi em Projeto de Lei que trata da regularização fundiária, em votação realizada na semana passada.
Passa boi, passa boiada...
A CPI será positiva para a cidade e pode significar o fim de uma época de favorecimentos aos "amigos do(s) rei(s)".

O POUPATEMPO de Sorocaba

Vários municípios de porte igual ou menor que Sorocaba já contam com suas unidades do Poupatempo, e só quem já necessitou dos serviços prestados por tal equipamento sabe do quanto é útil.
Precisei, no ano passado, tirar um novo RG. E com uma certa urgência, preferi procurar o Poupatempo em São Paulo, a esperar os 70 dias pedidos pelo órgão responsável pela emissão do documento em Sorocaba.
Pra que ninguém diga que só falo bem de programas e serviços criados por governos do PT, trato de elogiar o que encontrei naquele. Atendimento rápido, com hora marcada, presteza e eficiência dos funcionários.
Mas, por que em Sorocaba não?
Não é por falta de empenho, já que o deputado Hamilton Pereira vem lutando por isso há anos.
Creio que seja mesmo por descaso com a região. O mesmo governo que não nos reconhece como Região Metropolitana, também não entende a importância de uma unidade do Poupatempo em Sorocaba.
Parabéns aos companheiros do PT e do movimento sindical que tiveram a coragem de realizar manifestação sobre o tema no último sábado.
Quem sabe assim a unidade saia. Pelo menos com o Posto de Saúde do Wanel Ville a pressão funcionou.

Dilma continua subindo

Já não há diferença significativa nas intenções de voto em Dilma e José Serra, segundo a última pesquisa Datafolha.
A continuar nessa escalada, a ministra poderá liderar as pesquisas antes mesmo de se desincompatibilizar do cargo para a disputa eleitoral, o que ocorrerá em abril.
Alguns têm chamdo isso de fenômeno. Pois vejo com a maior naturalidade esses resultados.
Anormal seria Serra, ou qualquer outro candidato de oposição, vencer as eleições, quando mais de 70% da população aprovam a forma de governar apresentada por Lula, pelo PT e por seus aliados.
Como só há, de fato, dois projetos de país em debate no Brasil de hoje, o modelo de Lula e o modelo de FHC, a tendência é de nos depararmos com um eleitorado pragmático. Simples assim, tá melhor com Lula, então vamos com a Dilma.
Com todas as dificuldades e sabedor dos ataques preconceituosos que a ministra enfrentrará, creio sem medo de errar numa vitória já no primeiro turno.